Acessibilidade

Seinfra e Iphan realizam visita técnica em sítio arqueológico

Representantes da Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinfra) e do Instituto do Patrimônio Histórico Nacional (Iphan) realizaram visita técnica no sítio arqueológico Capoeira dos Índios, na manhã desta terça-feira (10/04). Este é o último dos sete sítios arqueológicos encontrados ao longo dos 78,14 quilômetros da obra de duplicação da rodovia Manuel Urbano, a AM-070.

Tratou-se de uma visita para fiscalização e apresentação ao Iphan do andamento dos trabalhos realizados no sítio arqueológico, a fim de prestar esclarecimentos e sensibilização do órgão diante dos trabalhos realizados. “Essa nova gestão não mede esforços para desempenhar, de modo correto, a resolução de entraves relacionados a questões ambientais e arqueológicos referentes aos trabalhos ao longo da AM-070”, explica o secretário executivo da Seinfra, Fernando Elias.

O arqueólogo André Reis, um dos coordenadores dos trabalhos no sítio Capoeira dos Índios, percorreu o local com a equipe, onde apresentou as áreas escavadas e os procedimentos utilizados em cada quadra aberta para coleta das amostras.

“Encontramos um corpo técnico muito qualificado e um arqueólogo que se apropriou do trabalho em campo e coordenou com seriedade. Isso demonstra que, sobretudo, é possível o desenvolvimento socioeconômico em áreas de sítios arqueológicos. Diante de um trabalho dessa natureza de pesquisa e resgate, a área poderá ser liberada para a ampliação da rodovia”, enfatizou a superintendente do Iphan do Amazonas, Karla Bitar.

 

Próximos passos – De acordo com ela, os próximos passos são: a finalização desse resgate do sítio, a partir disso um relatório conclusivo, discorrendo acerca da tipologia do sítio, cenário encontrado, bem como das ocupações pra montar um grande quebra-cabeça que é o processo de ocupação na Amazônia. Assim, o dever estará cumprido e a rodovia pode ser liberada para as obras.

O trabalho arqueológico feito no sítio Capoeira dos Índios, localizado do km 64 ao km 68, já foi realizado e foram resgatadas mais de 10 mil peças, entre materiais cerâmicos, líticos, bem como amostras de solo.

O próximo passo será a análise das peças e elaboração de relatórios de campo e laboratório, os quais serão submetidos ao Iphan para análise. O objetivo é obter a aprovação e, posteriormente, a liberação do trecho para a entrada das máquinas para duplicação da rodovia. Além disso, nos próximos meses também será realizado o trabalho de educação patrimonial nas áreas já mapeadas pela equipe.

A visita foi feita pelo secretário executivo da Seinfra, Fernando Elias; os engenheiros responsáveis pela obra, Ana Matos e Francisco Oliveira; a engenheira ambiental Daniele Lopes; o superintendente do Iphan, Karla Bitar; e pelo arqueólogo Iberê Martins.